Twitter: atrair e influenciar

Perfis corporativos sempre precisam lutar a favor de seus seguidores. Como um verdadeiro mutirão, o número que representa a quantidade de pessoas interessadas no que você e sua marca têm a dizer, representam nossa alegria, mas também nossa necessidade de cautela.

 

Atrair e influenciar. O que requer habilidade no comércio, é requerido também nas redes sociais, porém de maneiras diferentes. Por exemplo, um vendedor gritando na porta de sua loja durante o dia inteiro que seus preços são mais baratos provavelmente não vá aumentar o número de clientes de maneira substancial, correto? Pois no Twitter também é assim. Não grite: converse.

 

 

Ganhar influência no Twitter pode ser uma tarefa difícil, mas foi a partir de uma pesquisa que quatro universitários que estudam no Exterior – entre eles um brasileiro – descobriram como transformar sua tarefa mais fácil.

 

 

Intitulado “Medindo a influência do usuário no Twitter: A Falácia de um milhão de seguidores”, o estudo mostra como os links direcionados que você divulga indicam a influência sobre usuários, conceitos que são puro marketing digital.

 

A dinâmica de usuários corporativos também entra nessa, mostrando que usuários populares não são necessariamente os mais influentes, portanto, não se assuste se o número de seguidores de sua marca não é muito alto: trate os que você tem com temas significativos.

 

 

Para ajudar na concepção da construção de eficazes 140 caracteres, a pesquisa analisou os padrões de influência de tweets para determinar exatamente o que foi necessário na construção de ‘super usuários’. Afinal, quais são os influenciadores que fazem tudo certinho?

 

 

Números de seguidores – O que você prefere? 1000 seguidores que não vão agregar nada a sua marca ou 100 usuários altamente engajados? Saiba que a segunda opção é que vai lhe dar mais relevância. Não há nenhum sentido ter milhares de seguidores que não lêem seus tweets e não vão espalhar sua marca. Destes mil, quem vai retweetar seu conteúdo? Vale a pena a avaliação. Conforme o estudo, “o número de seguidores representa a popularidade de um usuário, mas não está relacionado com outras noções importantes como envolver o público, recebendo RTs e menções”.

 

 

Pare de ficar se preocupando com a baixa contagem de seguidores. Claro que ter muitas pessoas querendo saber o que você tem de novidade é bom, mas isso osmente se as pessoas quiserem saber de você e seu conteúdo. A influência não é adquirida de forma espontânea ou acidentalmente, mas através de esforço concentrado. A fim de obter e manter a influência, você precisa manter o envolvimento pessoal grande.

 

 

Compartilhe, compartilhe, compartilhe – Conteúdos valiosos desejam ser espalhados. Compartilhe fotos, promoções, ações, desde que sejam relevantes. Não tenha medo de publicar mais de uma vez seu conteúdo se ele for precioso para seu leitor. Também não tenha medo de retweetar o que interessa a sua marca e ao seu público. O estudo descobriu que Retweets são movidos pelo valor do que eles trazem, e os usuários que o fazem geram mais interesse.

 

Saiba o seu conteúdo – Seu negócio é limitado a um segmento. Seu twitter também precisa ser assim. Se o seu público são executivos do sexo masculino, não dê dicas de festas com público muito jovem. Não faz nenhum sentido querer atrair com o que não atrai. Atendo-se a um único tópico pode lhe trazer um público mais fiel, que vai aguardar seus tweets criativos e perspicazes que não são somente fruto de uma conversa. A pesquisa revelou, que com essa estratégia, usuários ganharam influência ao longo de um curto período de tempo.

 

 

Posts relacionados

>>> Derrube os mitos das redes sociais

>>> Pageviews são o negócio do Tumblr

>>> “Estão falando sobre isso”: entenda e cuide sua marca no Facebook

Posts relacionados:



Deixe uma resposta