Dia II – #CPBR5: Twitter contra o terremoto

O ineditismo das redes sociais serve tanto para divulgações importantes como informações relevantes. Com essa certeza, um garoto de apenas 15 anos mostrou que a curiosidade e a vontade de ver acontecer pode ser o início de grandes projetos. Sebastián Alegría (@sabasak) é o chileno que criou o @alarmasismo, um projeto que avisa sobre possíveis terremotos cerca de um minuto antes deles acontecerem. A ideia surgiu depois de acompanhar todo o drama dos terremotos que destruíram o Japão no ano passado.

 

Um minuto parece pouco? Não para quem convive com a rotina de terremotos. Muitas vezes é o tempo que precisa para que mude de lugar, proteja uma criança ou evite que objetos se espatifem no chão.

 

 

Para por a ideia em prática, Sebastián utilizou um sensor de terremotos (dos mais baratos, que custam apenas 50 dólares) e arduíno (a nova mania geek, que é uma plataforma de prototipagem eletrônica de hardware). Para ver se a ideia tinha futuro, fez alguns testes e comparou com as informações do órgão chileno que monitora os terremotos. Resultado: o material criador pelo garoto era preciso e mais rápido.

 

O governo chileno, que aposta na solução criada por Sebastián, vai patrocinar e instalar sensores em 14 regiões do País.Futuramente, quando tudo estiver devidamente comprovado e funcionando a todo vapor, quero abrir o código. A intenção é que todo mundo possa aproveitar essa tecnologia e ainda colaborar com o aperfeiçoamento do sistema”, conta Alegría.

 

Depois dessa demonstração de envolvimento com os problemas da sociedade e de preocupação com a humanidade, a gente tem até mais vontade de acreditar em um mundo melhor, não é?

 

 

Tem alguma ideia genial? Sabe qual é a dica do Sebastián? Faça! Tire do papel e veja se funciona. Só assim surgem as inovações!

 

(Por Márcia Breda, correspondente fabulosa direto da Campus Party)

Posts relacionados:

>>> Dia I – #CPBR5: Você é feliz nas redes?

>>> Fabulosa Ideia presente na Campus Party!

>>> Agende-se: Eventos de mídias sociais em 2012

Posts relacionados:



Deixe uma resposta