Os QR Codes estão de volta: agora vai?

No início da semana o McDonald’s anunciou que todas as suas embalagens teriam o design alterado. Sacolas e copos de bebidas terão um QR Code por meio do qual será possível acessar mais informações sobre os produtos.

E quase que ao mesmo tempo foi divulgado que trinta pontos turísticos do Rio de Janeiro irão ganhar QR Codes feitos em pedras portuguesas. Ao digitalizar o código será possível obter informação turística, cultural, gastronômica e comercial relacionada ao local em que o símbolo está inserido.

 

Vale lembrar que os cariocas de inspiraram na calçada portuguesa da Rua Garret, no Chiado, em Lisboa, que desde julho de 2012 tem incorporado QR Codes para promover o turismo local.

 

 

Só pelos anúncios da semana já dá para deduzir que o QR Code oferece um mundo de possibilidades. Apesar disso, parece que a tecnologia teima em não emplacar. De acordo com a Comscore, em dezembro de 2011 apenas 20% dos americanos, 16% dos canadenses e 12% dos espanhóis e ingleses que possuíam smartphones usavam os QR Codes.

 

Os dados são de uma matéria publicada hoje no Gizmodo Brasil e que tenta explicar por que os QR Codes são tão ruins. O texto cita, entre outros fatores, as limitações inerentes à tecnologia. Afinal o sistema precisa de uma mão firme para capturar o código, o app adequado para interpretá-lo e uma conexão de dados para carregar o conteúdo.

 

Outro complicador estaria nos anunciantes que colocam QR Codes em ruas ou estações de metrô, onde o sinal de telefone é ruim, e esperam que os usuários instalem o aplicativo adequado só para terem um atalho para chegar até a versão de desktop do site da empresa. “Não é preciso pensar muito para entender por quê ninguém dá a mínima para isso”, diz o texto.

 

Se os QR Codes vão finalmente engrenar? Não sabemos. O que a gente sabe é que, antes de apostar todas as fichas na tecnologia, vale passar os olhos pela matéria do Gizmodo Brasil. Vai lá: “Como QR codes funcionam — e por que eles são tão ruins“.

 

Posts relacionados:

>>> Novo MySpace abre para o público

>>> Guaraná Antarctica e Axe: as campanhas top da semana

>>> 4 formas das redes sociais auxiliarem seu trabalho em 2013

Posts relacionados:



Deixe uma resposta