O fim do SEO se aproxima?

O que você espera encontrar quando faz uma pesquisa no Google? Você procura um site que caprichou em cada estratégia possível de SEO para aparecer na lista do top 10? Ou um site que seja realmente relevante, confiável e com conteúdo importante para você? Pois é, eles podem não ser a mesma coisa…

 

Pode até soar estranho, mas o maior interessado em separar o joio do trigo nesse mar de SEO da web é o próprio Google. Além de não lucrar um centavo com um site bem otimizado no topo de suas listas, a companhia também mostra sinais de preocupação com o que os usuários finais começam a pensar das páginas mais relevantes em suas pesquisas. Na maioria das vezes, elas são todas muito parecidas (título impactante aqui, hiperlink ali e texto cheio de metatag pra impressionar no final), mas não entregam o conteúdo relevante que as pessoas procuram. Nos primeiros resultados das pesquisas, em vez da melhor informação, acaba aparecendo aquilo que foi mais bem otimizado.

 

seo1

Nos “bons tempos”, SEO era uma questão de unir metatags e as melhores palavras-chave. Depois isso ficou mais complicado, pois o Google refinou seu algoritmo de busca. Hoje, SEO é muito menos sobre técnica e modinha e muito mais sobre construir um fabuloso site com fabuloso conteúdo. E o Google está cada vez melhor em reconhecer isso, realinhando a própria indústria de SEO estabelecida na web para entregar menos promessas e mais resultados.

 

Os clientes continuam pedindo pela melhor palavra-chave no planejamento de campanha ou relatório de desempenho, talvez porque continuem acreditando que, com fé, o Papai Noel vai deixar um pônei sob a árvore na véspera de Natal. Mas não vai! Os princípios de SEO não devem ser ignorados (conteúdo rico, organização visual e textual), mas a maioria dos “jeitinhos” nesse segmento está mais para veneno do que para mágica. Soa bem para o proprietário de um site dizer “beba essa lata de SEO e seu site vai se fortalecer e crescer muito”, mas não é assim que funciona. Também não é isso que o Google quer.

 

Pensando bem, SEO pode encobrir a qualidade dos resultados para o usuário e isto, definitivamente, o Google não quer. O interesse da companhia é no usuário final – e como você já deve ter pensado, reduzir o valor de um link do AdWord, que é uma forma realmente válida do próprio Google de operar em SEM – Search Engine Marketing.

 

Fazer SEO não vai ficar mais fácil. Vai, sim, se tornar cada vez mais difícil, às vezes beirando o impossível, já que os algoritmos do Google sempre estarão um passo a frente dos especialistas em marketing que tentam jogar com eles. Sem muito alarde, grande parte do sistema de suporte de SEO tem sido literalmente excluída.

 

Se depois disso você continuar desejando estar no topo do ranking das pesquisas, não tenha dúvida: construa um excelente site e aposte no melhor conteúdo que puder produzir. Os novos algoritmos que vem por aí devem levar em conta variáveis diferentes, diretamente atreladas ao bom e velho conteúdo.   Fonte: Andrew Edwards / Mashable

 

 

Posts relacionados:



Deixe uma resposta